terça-feira, 2 de abril de 2013

SANTOS AVANÇA NO TRATAMENTO AO USO ABUSIVO DE DROGAS

Lideranças políticas, autoridades e religiosos iniciam tratativas para o estabelecimento de novas  parcerias para o tratamento dos usuários abusivos de álcool e outras drogas na cidade de Santos

No último dia 1º, no gabinete do vice-prefeito da cidade de Santos, sr. Eustázio Alves Pereira Filho, o vereador Ademir Pestana, presidente da Comissão Especial de Vereadores (CEV) que trata das questões referentes às drogas, a sra. Rosana Russo, secretária municipal de assistência social, representantes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), da Secretaria Municipal de Segurança (SESEG) e lideranças estaduais, nacionais e regionais da Igreja Batista do Brasil, estiveram reunidos para traçar novos planos e estratégias visando ao estabelecimento de parcerias para o tratamento do uso abusivo de álcool e outras drogas, especialmente o crack, que tem tido seu uso alastrado pelo país inteiro de forma muito intensa. 

De acordo com informações do Governo Federal, o crack chegou ao Brasil no final da década de 1980 e início dos anos 90 e vem se disseminando na maioria dos centros urbanos no país, alcançando cidades do interior e mesmo e mesmo as zonas rurais, com problemas relacionados ao seu consumo e tráfico. As drogas trazem uma diversidade de problemas com dimensões biológicas, psíquicas, sociais e culturais, se constituindo num grande desafio para a implementação de uma política que exige uma abordagem abrangente e o desenvolvimento de ações articuladas que contemplem a prevenção, o cuidado, o tratamento e o combate ao tráfico. No campo do Legislativo, a lei 11.343 de 2006 instituiu o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas (SISNAD) e estabelece medidas para a prevenção do uso indevido, atenção e reinserção social de usuários abusivos, é o marco legal da mudança de paradigmas e de procedimentos no Brasil, contemplando a perspectiva de intervenção integrada, com ações de promoção da saúde e de conscientização sobre os riscos do uso do crack, álcool e outras drogas.

Os representantes da Igreja Batista apresentaram o Projeto Cristolândia, que desenvolve um trabalho de recuperação de usuários abusivos de álcool, tabaco e outras drogas. De acordo com o Pastor Helder, representante da Junta Nacional de Missões da Igreja Batista, o Projeto nasceu há aproximadamente 3 anos  e que possui unidades no interior de São Paulo e que atua em outras capitais, atuando com ênfase na abstinência química e o trabalho social, além da evangelização  e baseado no trabalho voluntário e espiritual. O vice-prefeito de Santos ressaltou a importância do estabelecimento de parcerias como estas. Para ele, o tratamento dos usuários abusivos dessas substâncias psicoativas também deve considerar a dimensão espiritual, além da biológica e psicossocial. O vereador Ademir Pestana, presidente da CEV sobre drogas na Câmara de Santos ressaltou a importância do trabalho com as famílias dos usuários que, segundo ela, ficam desorientadas e sem o apoio adequado para lidar com as questões que surgem quando se tem um familiar doente.

____________
Fotos: Delaine Amaral e Ronaldo Andrade



2 comentários:

  1. Olá Adeildo,

    Você está a favor de utilizar a religião como método de cura para usuários de drogas?

    Pelo que eu me lembre, você era contra quando trabalhava na SENAT. O que houve?

    Abraços,

    Marcelo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Marcelo, como vai, tudo bem?

      Penso que nenhuma religião ou qualquer outra coisa vai curar usuários de drogas, pois entendo que é uma doença crônica e que não tem cura.

      A religião é apenas mais um dos caminhos e estratégias para contribuir no processo de tratamento dos usuários abusivos de álcool e outras drogas.

      Grande abraço.

      Excluir